maome

Muhammad (Maomé) (figura) nasceu na cidade de Meca no ano de 570. Filho de uma família de comerciantes, passou parte da juventude viajando com os pais e conhecendo diferentes culturas e religiões. Aos 40 anos de idade, de acordo com a tradição, recebeu a visita do anjo Gabriel que lhe transmitiu a existência de um único Deus. A partir deste momento, começa sua fase de pregação da doutrina monoteísta, porém encontra grande resistência e oposição. As tribos árabes seguiam até então uma religião politeísta, com a existência de vários deuses tribais.  Maomé começou a ser perseguido e teve que emigrar para a cidade de Medina no ano de 622.

O Alcorão é um livro sagrado que reúne as revelações que o profeta Maomé recebeu do anjo Gabriel. Este livro é dividido em 114 capítulos (suras). Entre tantos ensinamentos contidos, destacam-se: onipotência de Deus (Alá), importância de praticar a bondade, generosidade e justiça no relacionamento social. O Alcorão também registra tradições religiosas, passagens do Antigo Testamento judaico e cristão. A outra fonte religiosa dos muçulmanos é a Suna que reúne os dizeres e feitos do profeta Maomé.

Todo muçulmano deve seguir cinco princípios:

Aceitar Deus como único e Muhammad (Maomé) como seu profeta;
Dar esmola (Zakat) de no mínimo 2,5% de seus rendimentos para os necessitados;
Fazer a peregrinação à cidade de Meca pelo menos uma vez na vida, desde que para isso possua recursos;
Realização diária das orações;
Jejuar no mês de Ramadã com objetivo de desenvolver a paciência e a reflexão.

Existem três locais sagrados para os muçulmanos:

A cidade de Meca, onde fica a pedra negra, também conhecida como Caaba.

A cidade de Medina, local onde Maomé construiu a primeira Mesquita (templo religioso dos muçulmanos).

A cidade de Jerusalém,  local onde o profeta subiu ao céu e foi ao paraíso para encontrar com Moises e Jesus.

A migração  muçulmana de turcos e afegãos que se colocaram ao abrigo da bandeira verde do Profeta aconteceu no noroeste do subcontinente asiático; os migrantes se instalaram  no Vale do Indo. Estes invasores, graças à destreza militar, conseguiram impor-se frente às forças dos reis e marajás indianos apoiados por elefantes Em três séculos, a presença dos muçulmanos no norte e no nordeste da Índia tornou-se forte e  irreversível.

Muitas são as cidades indianas com considerável população muçulmana, entre elas a capital Delhi e a capital do estado de Andhra Pradesh – Hyderabad. O norte da Índia tem uma enorme população islâmica.

Anúncios